Praia e Ano novo? Cilada.

Só cilada...

Éeee amigo, fim de ano, é ritmo de festa que balança o coração, hey hey hey…. HEY! Paaara com isso!! Fim de ano é a maior cilada, principalmente para mim, que vou contrariado para a casa de praia, como já é do conhecimento de muitos leitores deste magnífico blog, pelas dificuldades tecnológicas nas quais Remanso Paradise Beach se encontra.

29 de dezembro… Você já sai de casa DOIS dias antes do maldito ano novo, pra não pegar a porra do engarrafamento que muitas pessoas adoram (ou são “obrigadas”) enfrentar. Até tiram seus sapatos pra ficar de meias velhas pra fora da janela, tomando um belo chimarrão com 35ºC na testa sem ar condicionado, e aquele porta-mala batendo no carro de trás, entulhado de travesseiros e uma bicicleta pendurada na frente da placa. Ah esqueci das pranchas em cima do carro também, mas até aí tudo de boa… Suave na nave como diriam os paulistas, acostumados com coisa pouca assim. Escapei disso pelo menos, mas paguei 10,50 reais nos dois pedágios, DEZ e CINQUENTA, MUITO ROUBO.

Chegando lá o primeiro desafio é ir no supermercado, porque como todos sabem, você não tem nada na casa que ficou abandonada o ano inteiro e precisa abastecer os armários, banheiros, geladeira, consertar quiosques, área de serviço, quartos, sala, pátio… A vaga. Até achar a vaga… My son, tem que esperar alguém parir ela, porque demora os nove meses de gestação e o trabalho de parto, com muitas complicações. Ok ok… isso não é nada. Você sai do carro, anda morrendo de raiva até a porta e… CADÊ O CARRINHO? CADÊ A PORRA DO CARRINHO? AQUELE GORDO FILHO DA PUTA SÓ DE SUNGA, ATOLADINHA, PEGOU O ÚLTIMO. NOOOOOOOOOO!!. *Bate a cabeça nos cestinhos que sobraram*. Eis que aparece um carrinho e é o passe livre para as compras… Até o primeiro corredor. Aquela perua que chegou numa BMW e o marido gordo de 197kg só de sunguinha, ocupam o corredor inteiro pra decidir quais bebidas eles levam pra encher a cara, e ficam putos se você pede licensa. Você consegue passar aquele GRANDE obstáculo, mas virando no corredor principal você vê o rascunho do inferno, muitas pessoas >>PELADAS << e pouco espaço. E o pior de tudo, todas elas parecem estar afetadas com uma espécie de “Brain Lag” com uma latência de uns 9784ms. E não destranca nunca.

Desolado e conformado você conta até três e decide que vai ser até cordial com todo esse pessoal, afinal, é ano novo, festa, época de paz… Mas não é que sempre tem alguém pra encher os pacovas? (OIMÃE!) No outro corredor das bebidas… Dez adolescentes, novamente lugar apertado e estoque acabando, e os filhos da puta decidindo se levam Polar do Grêmio ou do Inter. Mil desculpas, mas a vontade é de mandar tomar no meiozinho do orifício anal com o engradado inteiro, dos dois times. Vão tomar nas pregas, o cara chega cansado de viagem, tá acabando as coisas na prateleira e o pessoal ainda fica discutindo isso? Ok, beleza… A vida continua… Paga, coloca compras no carro, vai pra casa, ajeita tudo, sua mais que um porco… Opa, hora do banho! Ô coisa boa… Calor, aguinha fresca… QUE NADA! QUE NADA! É PRAIA, E É ANO NOVO. Não tem água pra todo o Rio Grande do Sul ficar no litoral. O que acontece? Você cuspindo consegue molhar mais que o chuveiro e a torneira dá choque! Hurray!

Essas são algumas peripécias que acontecem com todos, pessoal tá acostumado… Mas não, ainda não acabou a minha parte da história. Aconteceu o que de mais improvável podia acontecer. Riléx, fui instalar meu PS3, meu monitorzinho do PC sem som, e as caixas de som, pra deixar assim, parecido com gente sabe? BOOM! “O que foi isso meu filho?”, “Ah a caixa de som estourou…”. Sim, mais essa pra mim. Eu, na praia, sem internet (porque Claro3G não funcionava lá), com raiva e com video-game sem som! Assim não pode! Assim não dá! Ainda dava pra jogar sabe, mas não tem a mesma magia, vocês entendem, né? O que mais pode acontecer? Continue lendo.

Capota na cama, e o outro dia surge… Com aquele pagodinho gostoso que só o Renan gosta pra acordar. Conformado, vou pra sala e tento um resgate da civilização normal, assistindo Friends na Warner e me distrair um pouco, logo logo almoço e mais tarde vou jogar um Futvoleibolzinho com a vizinhança. Ninguém de “feto” sabe jogar, mas é uma das únicas coisas divertidas que se pode fazer na praia. Pow! La bomba (OIJU!), PAH! Saque do campeão!(OISEU!) “AI!” “PUTA MERDA!” “MEU PÉ” “ROSETA FILHA DE UMA PROSTITUTA”. Rosetas, venho aqui declarar meu amor para com essas coisinhas… Coisinhas que não precisavam existir na face da terra, ou pelo menos no terreno em que a gente joga. Além de todos os problemas supracitados(OITHA), estou com algumas dezenas de rosetas nos pés, NOS DOIS PÉS, e estão doendo, bastante, tipo… muitão. Além disso, só pra completar, um dia antes do Reveillón, fico gripado e a grande virada do ano, foi de lado no sofá onde estava deitado, entretanto juntei forças, comemorei um tanto e fui até pra beira do mar. Só deu merda mas eu estou de volta ao meu cantinho hi-tech, a salvo.

PS1: O que depois disso tudo posso dizer? A-dó-ro praia!

PS2: Para todos que tiveram paciência de ler até aqui meu desabafo, um Feliz Ano Novo para todos vocês, atrasado.

PS3: Eu tenhô, eu tenhô! Faz tempo que queria dizer isso no blog… Faz tempo que eu não posto aqui ._.

Anúncios

3 respostas em “Praia e Ano novo? Cilada.

  1. Só sei que isso tudo por mais verdade q seja. É ENGRAÇADO PARA MAIS DE METRO.

  2. Tá muito bom o teu texto…mas senti falta das larvinhas, hehehe :P
    Débora

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s