Top Four – Músicas que eu queria ter escrito! (por Thales)

Quem me conhece sabe que sou um músico frustrado. Confesso que não tenho grandes habilidades musicais/instrumentais, mas sou capaz de fazer o DóRéMí. Também não sou prepotente pra dizer que toco e, assim, correr o risco de ter que provar. Digamos que seja daqueles que não tocam absolutamente nada mas sabem fingir muito bem, e deixam as unhas da mão direita levemente compridas afim de arranjar uma prosa ao acaso. “Tu tocas violão???”. YAHAM! =D

Entretanto confesso minha paixão incondicional pela música. Não me refiro a ela como arte porque não sei em que posição está – sabe… o cinema é a sétima e os quadrinhos são a nona, por exemplo. Em razão disso vim, por meio deste muitíssimo (non-)interessante post, compartilhar con ustédes um pouco do meu questionável gosto musical.

Aí estão as as quatro músicas que eu gostaria de ter composto, escrito, ou pelo menos colocado meu nome nos direitos autorais. XD Não são necessariamente as minhas músicas favoritas, mas refletem bem aquilo que costumo ouvir no aconchego do meu quarto (moro minha mãe sim, e daí?).

4. Lenine – Todas Elas Juntas Num Só Ser

O fantástico nessa música é ela ser uma declaração de amor não romântica. Lenine RULEZ!

Letra:

Não canto mais Babete nem Domingas
Nem Xica nem Tereza, de Ben jor;

Nem Drão nem Flora, do baiano Gil;
Nem Ana nem Luiza, do maior;

Já não homenageio Januária,

Joana, Ana, Bárbara, de Chico;

Nem Yoko, a nipônica de Lennon;
Nem a cabocla, de Tinoco e de Tonico;

Nem a tigreza nem a vera gata
Nem a branquinha, de Caetano;
Nem mesmoa linda flor de Luiz Gonzaga,
Rosinha, do sertão pernambucano;
Nem Risoflora, a flor de Chico Science,
Nenhuma continua nos meus planos.
Nem Kátia Flávia, de Fausto Fawcett;

Nem Anna Júlia do Los Hermanos.

Só você,
Hoje eu canto só você;
Só você,
Que eu quero porque quero, por querer.

Não canto de Melô pérola negra;
De Brown e Hebert, uma brasileira;
De Ari, nem a baiana nem Maria,
Nem a Iaiá também, nem minha faceira;
De Dorival, nem Dora nem Marina
Nem a morena de Itapoã;
Divina garota de Ipanema,
Nem Iracema, de Adoniran.

De Jackson do Pandeiro, nem Cremilda;

De Michael Jackson, nem a Billie Jean;

De Jimi Hendrix, nem a doce Angel;
Nem Ângela nem Lígia, de Jobim;

Nem Lia, Lily Braun nem Beatriz,

Das doze deusas de Edu e Chico;
Até das trinta Leilas de Donato,
E de Layla, de Clapton, eu abdico.

Só você,
Canto e toco só você;
Só você,
Que nem você ninguém mais pode haver.

Nem a namoradinha de um amigo
E nem a amada amante de Roberto;
E nem Michelle-me-belle, do beattle Paul;
Nem Isabel – Bebel – de João Gilberto;

E nem B.B., la femme de Serge Gainsbourg;
Nem, de Totó, na malafemmená;
Nem a Iaiá de Zeca Pagodinho;
Nem a mulata mulatinha de Lalá;

E nem a carioca de Vinícius
E nem a tropicana de Alceu
E nem a escurinha de Geraldo
E nem a pastorinha de Noel
E nem a namorada de Carlinhos
E nem a superstar do Tremendão
E nem a malaguenha de Lecuona
E nem a popozuda do Tigrão

Só você,
Hoje elejo e elogio só você,
Só você,
Que nem você não há nem quem nem quê.

De Haroldo Lobo com Wilson Batista,
De Mário Lago e Ataulfo Alves,
Não canto nem Emília nem Amélia,
Nenhuma tem meus vivas! E meus salves!
E nem Angie, do stone Mick Jagger;
E nem Roxanne, de Sting, do Police;
E nem a mina do mamona Dinho
E nem as mina – pá! – do mano Xiz!

Loira de Hervê e loira do É O Tchan,
Lôra de Gabriel, o Pensador;
Laura de Mercer, Laura de Braguinha,
Laura de Daniel, o trovador;
Ana do Rei e Ana de Djavan,

Ana do outro rei, o do baião

Nenhuma delas hoje cantarei:
Só outra reina no meu coração.

Só você,
Rainha aqui é só você,
Só você,
A musa dentre as musas de A a Z.

Se um dia me surgisse uma moça
Dessas que com seus dotes e seus dons,
Inspira parte dos compositores
Na arte das palavras e dos sons,
Tal como Madallene, de Jacques Brel,
Ou como Madalena, de Martinho;
Ou Mabellene e a sixteen de Chuck Berry,
E a manequim do tímido Paulinho;

Ou como, de Caymmi, a moça prosa
E a musa inspiradora Doralice;
Se me surgisse uma moça dessas.
Confesso que eu talvez não resistisse;
Mas, veja bem, meu bem, minha querida;
Isso seria só por uma vez,
Uma vez só em toda a minha vida!
Ou talvez duas… mas não mais que três…

Só você…
Mais que tudo é só você;
Só você…
As coisas mais queridas você é:

Você pra mim é o sol da minha noite;
É como a rosa, luz de Pixinguinha;
É como a estrela pura aparecida,
A estrela a refulgir, do Poetinha;
Você, ó flor, é como a nuvem calma
No céu da alma de Luiz Vieira;
Você é como a luz do sol da vida
De Steve Wonder, ó minha parceira.

Você é pra mim e o meu amor,
Crescendo como mato em campos vastos,
Mais que a gatinha para Erasmo Carlos;
Mais que a cigana pra Ronaldo bastos;
Mais que a divina dama pra Cartola;
Que a domna pra Ventadorn, Bernart;
Que a honey baby pra Waly Salomão
E a funny valentine pra Lorenz Hart.

Só você,
Mais que tudo e todas, é só você;
Só você,
Que é todas elas juntas num só ser.

3. Dream Theater – The Spirit Carries On

Eu acho o guitarrista deles um BAITA bostolão, mas se alguém ouvir um solo mais bonito que esse, por favor, me avisa nos comentários. Sem contar que (só) o nome é uma porrada nas membranas pensamentais.

Letra:

[Present]
[Nicholas:]
Where did we come from?
Why are we here?
Where do we go when we die?
What lies beyond
And what lay before?
Is anything certain in life?

They say, “Life is too short,”
“The here and the now”
And “You’re only given one shot”
But could there be more,
Have I lived before,
Or could this be all that we’ve got?

If I die tomorrow
I’d be all right
Because I believe
That after we’re gone
The spirit carries on

I used to be frightened of dying
I used to think death was the end
But that was before
I’m not scared anymore
I know that my soul will transcend

I may never find all the answers
I may never understand why
I may never prove
What I know to be true
But I know that I still have to try

If I die tomorrow
I’d be allright
Because I believe
That after we’re gone
The spirit carries on

[Victoria:]
“Move on, be brave
Don’t weep at my grave
Because I am no longer here
But please never let
Your memory of me disappear”

[Nicholas:]
Safe in the light that surrounds me
Free of the fear and the pain
My questioning mind
Has helped me to find
The meaning in my life again
Victoria’s real
I finally feel
At peace with the girl in my dreams
And now that I’m here
It’s perfectly clear
I found out what all of this means

If I die tomorrow
I’d be allright
Because I believe
That after we’re gone
The spirit carries on

2. Dream Theater – Stream Of Consciousness

Disse meu pai uma vez: “Esse é o tema mais bonito do heavy metal nos últimos dez anos.”

Tão tá…

Letra: quem encontrar pode se considerar MeoDeos! XD

1. Gênio da Música – Happy Birthday To You

O vídeo é auto explicativo, mas mesmo assim dou meus motivos. Ela é cantada pelo menos uma vez por dia todos os dias de todos os anos, e é, com certeza uma das poucas músicas existentes que foi traduzida, sem a menor dúvida, para todos os idiomas oficiais falados em todo o mundo. Precisa mais?

HELL YEAH!!!

———————————————-

É isso aí, amiguenhos. Essas são as músicas da minha lista. Quem tiver vontade (e nada mais para fazer) coloca as suas aí nos comentários.

Dá pra discutir bastante sobre isso. =D

PS: Eu sei a letra de Todas Elas Juntas Num Só Ser inteirinha. XD

PS: Eu gosto de Dream Theater sim, algum problema?

PS3: *sonha*

Ps4: A letra de The Spirit Carries On é um diálogo porque o disco em que ela se encontra tem uma historinha. =D

Anúncios